Herval é único município no Estado em projeto de Compostagem Urbana

18/05/2018 Fonte:Assessoria de Imprensa - PMH

No dia 29 de março o prefeito Rubem Wilhelnsen na presença de dois servidores da Caixa Econômica Federal de Pelotas, assinou o convênio que coloca Herval como único município estado aprovado em um projeto de compostagem, o Projeto ECOBALDE - COMPOSTAGEM URBANA. Aprovado em edital do Fundo Nacional do Meio Ambiente e o Fundo Socioambiental lançado em setembro de 2017, edital em apoio a Projetos de Compostagem, visando explorar uma alternativa tecnológica para tratar resíduos, ainda pouco utilizada no Brasil.

O projeto - Projeto Ecobalde - Compostagem Urbana - foi elaborado pela Bióloga, Vanessa Dutra, quem irá coordenar o andamento do projeto com apoio da equipe da secretaria de Planejamento e Meio Ambiente e tem como objetivo tratar dos resíduos orgânicos de toda a cidade com a colaboração da comunidade que receberá baldes para separar o lixo orgânico - erva mate, restos de comida, papel higiênico, saco de chá, etc.

Busca cumprir o exposto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei nº 12.305/2010, art. 7º, inciso II, onde deverá ser enviada a disposição final ambientalmente adequada apenas os rejeitos, considerando que atualmente toda a fração orgânica gerada na área urbana é enviada a aterro sanitário, além de encaminhar os resíduos que são passiveis de reaproveitamento têm o custo de disposição destes resíduos.

Atualmente o município está planejando a implantação da coleta seletiva, porém um dos principais problemas é a destinação final dos resíduos orgânicos, com a implantação do pátio de compostagem em torno de 40% do peso dos resíduos gerados serão reaproveitados, considerando que os resíduos recicláveis representam aproximadamente 44% do peso total, já está em fase de planejamento à construção de uma central de triagem para os resíduos recicláveis, bem como a formação de uma Cooperativa de Catadores, restando apenas 16% de rejeitos para serem enviados a aterro sanitário. Além da economia de custos no sistema de gestão dos resíduos, o beneficio ambiental é o mais importante a ser citado, considerando todos os impactos ambientais negativos causados pela operação de um aterro sanitário, como a contaminação do solo, recursos hídricos e ar.

Considerando que o composto será destinado a produtores rurais que visam à produção orgânica fechando assim o ciclo de reaproveitamento dos resíduos.

O valor total do projeto é de R$ 797 mil reais, menos R$ 8.900,00 (oito mil e novecentos reais) de contrapartida do muncicípio, valor que deve cubrir a compra de um veículo adaptado para o transporte dos baldes e compra de todos os equipamentos e materiais necessários para a execução do projeto. O campo de compostagem já está em negociação e será instalado na antiga escola do MARCO GERAL.

O lixo é uma preocupação mundial, o Brasil pela pesquisa da Abrelepe do final do ano de 2016, produziu no ano 79,9 milhões de toneladas de lixo, 1,7% a mais que em 2015, mesmo diante da crise finaceira. Atualmente Herval realiza a coleta de lixo através de uma empresa terceirizada, a MEGALIX de Candiota, acordado em contrato o volume 36 toneladas mês, um ônus de R$ 360 mil ao ano para os cofres públicos, situação que precisa ser revista. Com a chegada deste projeto o volume de lixo irá diminuir consideravelmente e o município poderá respirar melhor, também terá possibilidade de buscar alternativas para o lixo reciclável e diminuir cada vez mais esta conta. Agora a equipe de trabalho da SEPLAM está finalizando a prestação de contas da primeira etapa e segue cumprindo o cronograma. Cada etapa finalizada será comunicada à comunidade através das redes sociais do município.

Parte da equipe que irá trabalhar no projeto que vem para trazer inúmeros benefícios para município, o projeto Ecobalde  - Compostagem Urbana esteve em Florianópolis na segunda quinzena de abril para o treinamento proposto pelo MMA em conjunto com a CAIXA. Participaram a Biológa Vanessa Dutra Coordenadora do Projeto, Niara Ávila, responsável pelo convênio, e os operadores Francis Ávila e Cléber Pereira Sena que irão trabalhar direto no campo de Compostagem. Cabe salientar que dentre todos os municípios que se fizeram presentes no treinamento, Herval foi destaque por ser o único a levar os operários para o treinamento. Vinte municípios selecionados estão participaram do evento, também esteve acompanhando a equipe de Herval o fiscal da Caixa (Gigov), Gelson.

Prefeito Rubem Dari Wilhelnsen juntamente com a Bióloga do município Vanessa Dutra, na sessão da Câmara na sessão de 08 de abril, em pauta abertura de crédito para o projeto de Compostagem, projeto no qual Herval foi o único contemplado do Estado. Herval está adiantando o caminho para o cumprimento da lei 12.305/2003 que também trata de resíduos sólidos e Separação e reciclagem de Lixo. O pedido veio do Vereador João Batista Sais que solicitou mais esclarecimentos e para ele toda e qualquer atividade relacionada a saneamento deveria ser discutida na presença da Corsan, porque acredita que a Corsan é obrigada a cumprir o contrato com o município no qual é obrigada a atender questões de saneamento básico.

O líder de governo, Rodrigo Dutra defendeu a brilhante ideia deste projeto que visa o futuro do município e de todo o meio ambiente e lembrou que o debate na sessão é para abertura de crédito para que o município pudesse receber o recurso, respondendo ao Vereador Batista.

O Vereador João Bosco lembrou que antes de criticar um projeto que visa a separação de lixo orgânico do seco, deve-se criticar o lixo que fica pelas ruas, descartado de forma incorreta pela própria população e que o trabalho dos vereadores é buscar auxiliar suas comunidades buscando soluções.

O Vereador Damasceno falou sobre a execução do projeto e que gostaria de entender mais isso, porque em seu entendimento o projeto já está em andamento sem antes mesmo ter passado pela câmara.

A Bióloga Vanessa Dutra, explicou que o projeto é feito por etapas e que o município não quis atropelar as coisas, mas a Caixa Econômica Federal é quem executa e determina o projeto e as datas, tanto que, os servidores foram para a capacitação, "por conta do município", e não conseguiram utilizar o dinheiro do projeto que também cobre estes gastos, porque ainda não havia sido aprovado? Lembrando também que a responsabilidade do lixo é compartilhada porque cada cidadão produz seu próprio lixo.

O Prefeito falou que a população não será enganada e que todas as taxas  que poderão ser cobradas e toda a discussão será feita com o público, tal qual o Plano Municipal de Saneamento Básico - PMSB e que os vereadores podem ajudar levando informações para suas comunidades e acompanhando o executivo. "Se nós não formos habeis e inteligentes a população vai pagar ali na frente", falou Rubem.

Galeria da Notícia