Prefeitos discutem acessibilidade em reunião

11/05/2018 Fonte:Assessoria de Imprensa / JTR

Os municípios gaúchos devem aderir, nos próximos meses, ao Selo de Acessibilidade. O anúncio foi feito na terça-feira (8), em Canguçu, durante a reunião de prefeitos promovida pela Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), dentro da programação do Fórum Regional de Acessibilidade e Inclusão, realizado através da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (Faders) no município.


O Sistema Estadual do Selo de Acessibilidade, conforme a Faders, é uma iniciativa inédita no âmbito governamental, que tem como objetivo criar parâmetros arquitetônicos de acessibilidade claros, padronizados e de fácil verificação por toda a sociedade. Prédios, praças, escolas e quaisquer ambientes públicos ou privados poderão receber um dos três tipos de selo: bronze - para as condições primárias, prata - para as intermediárias ou ouro - para os espaços que tenham atendido todos os requisitos de acessibilidade.


Para o presidente da Fundação, Roque Bakof, além de dar visibilidade ao espaço físico que contempla as condições de acessibilidade, e estimular que os empreendimentos busquem a avaliação, espera-se que o selo motive os cidadãos a sinalizar o que falta nos espaços. "Não é apenas o fato de um lugar ganhar um selo na parede. Há todo um movimento em volta da concessão, que busca a construção da consciência dos motivos da existência do selo", afirmou.


Segundo ele, se um espaço tem o selo 'bronze', por exemplo, ele ainda não alcançou o prata mas, pelo menos, mostra interesse na direção da acessibilidade. "Então, o selo é uma demarcação de propósito, para as pessoas entenderem que existem níveis de acessibilidade", ressaltou. Bakof enfatizou que as classificações desenvolvidas (bronze, prata e ouro), serão facilmente compreendidas pela população.


Os prefeitos da região também discutiram estratégias para sensibilizar órgãos do governo federal na liberação de recursos que amenizem os prejuízos causados pela estiagem na zona sul, encaminhando a realização de audiência com o ministro chefe da Casa Civil, Elizeu Padilha. O prefeito de Arroio Grande, Luis Henrique Pereira, pediu ações coordenadas pela Azonasul para buscar alternativas à travessia em Santa Izabel, hoje entendida como uma pauta estruturante da região.

Galeria da Notícia